Os nossos contactos

Endereço Postal

APT 856
8125-911 Vilamoura
Algarve - Portugal

Telefone (+351) 289 303 280
Fax (+351) 289 303 288

colegiodevilamoura@civ.pt

Perguntar. Perguntar! Perguntar!?

 

“Porque devo fazer uma pergunta?” (L.J., 9.ºAno) é a questão que nos recebe à entrada neste Dia Mundial da Filosofia. Dois passos adiante, junto ao Jardim-de-Infância, somos surpreendidos pela pergunta: “O que é um mistério?” (D.G., G5Anos) e, na face do Bar, duas grandes questões dominam a paisagem: “Há verdade no erro?” (M.R., 8.ºA) e “Algum dia poderei ser verdade, se ainda não sei quem sou?” (professora N.R.). É assim que, uma vez mais, a comunidade CIV comemora o Dia Mundial da Filosofia, este ano sob o mote “Sapere aude! - Tempo para pensar, tempo de pensamento”.

O desafio, lançado pela professora de Filosofia, Laurinda Silva, nesta VIII edição do Festival de Perguntas, operou, como habitualmente, uma reflexão em todos, fazendo surgir as melhores questões que nos habitam. Espalhadas um pouco por toda a parte (Refeitório, Sala Multicultural, alas de aula, Jardim-de-Infância, Bar…), as perguntas provocam, dão origem a troca de ideias, a conversas cruzadas, são levadas para dentro das salas de aula e partilhadas com a família.

Elas refletem uma comunidade que questiona e procura respostas no mundo que a rodeia. Podem ser inquietantes, filosóficas, políticas ou económicas, sentimentais ou esotéricas, científicas ou existenciais, maduras ou inocentes, e levantam dúvida, curiosidade, convicção e desejo de conhecimento.

Por isso podemos ler: “Se os meios alemães não justificam os fins, porque razão os meios americanos justificaram os fins, sem ter nenhuma punição?” (L.Y. 7.ºA), “Para onde vão os pensamentos quando são esquecidos?” (L.R., 7.ºA), ou ainda, “Se nós conseguimos ver a água e não o ar, será que os peixes vêm o ar e não a água?” (F.G.A., 5.ºA).

Entre alunos, staff e professores, surgiram perguntas como: “Qual o tamanho da distância entre a perceção e a realidade?” (professora A.C.), “Qual é o verbo mais engraçado?” (J.C. 3.ºA), “Se nós não tomarmos medidas sustentáveis imediatamente, quanto tempo é que o nosso planeta pode sobreviver?” (M.A. 6.º A), ou “What’s the correct way to transmit peace and love?” (A.R. Y11).

Ou reflexões curiosas, como: “How do all the numbers have a name if the numbers are infinit?” (M.V. Y5), “Porque é que há pessoas com ‘déjà vus’? (M.P. 5.º A), “Porque é que eu não consigo imaginar o infinito?” (M.M. 7.ºA) ou “Porque é que para algumas pessoas pensar é tão difícil?” (R.P. 7.ºA).

Questionar. Questionar! Questionar? A questão como motor do conhecimento. A disciplina de Filosofia para Crianças e Jovens é uma área que acompanha o currículo do CIV desde 1997, em todos os níveis de ensino.